quinta-feira, 7 de maio de 2009

Apoiado no ombro de gigantes...

Existe uma frase que é muito repetida que diz “se longe cheguei foi porque me apoiei nos ombros de gigantes”. Frase essa que mais tarde foi repetida por Einstein, embora se referisse a James Maxwel, e não a Newton... não importa. O fato é que é justamente o que eu penso sobre a assistência fotográfica e a oportunidade de aprender com fotógrafos mais experientes. Mesmo youtube, sites, fóruns e blogs não são tão proveitosos como a pratica lado a lado de um fotografo experiente. E Deus me deu um presente no dia em que por acaso, em uma lista de e-mails de um fotoclube eu conheci o fotógrafo Almir Jr. Nesse dia descobri que todas as peças publicitárias que eu gostava em minha cidade não eram fruto de um fotógrafo morando na capital e sim um emigrado da capital, Salvador, para minha cidade de Feira de Santana, atuando no mercado publicitário local, e com um trabalho consistente que pode ser visto no site http://www.almirjr.com/ . Mais que isso, que o cara que eu era fã tava ali do lado, mais incrível foi descobrir que entre papos e mais papos no msn uma amizade foi surgindo, com uma pessoa de grande conhecimento e técnica embora muito simples. Até que um certo dia o fotógrafo me ofereceu a oportunidade de fotografar uma amiga minha em seu estúdio, e eu que nunca tinha fotografado em um estúdio ganhei uma espécie de “aula”, com dicas, conhecendo os equipamentos, alguns macetes básicos e outros nem tanto. No inicio da sessão, cuja idéia seria produzir a amiga Malu como uma pin-up, eu me senti bastante retraído, dirigir a modelo, primeira vez que deveria faze-lo parecia não-natural, já que eu era habituado a portraits de rua, a momentos naturalmente espontâneos, e mais uma vez Almir foi paciente, dirigindo a modelo praticamente pra mim, em que as vezes eu até ficava mudo, ouvindo e prestando atenção em suas palavras, expressões e jeito de falar. Felizmente dividimos rapidamente as fotos em dois momentos distintos. Um de fundo infinito e Malu vestida com roupa de bailarina (ela é professora de dança) e um outro momento mais intimista em que ele usou gelatina nos flashes para compor cores diferentes e assim mudar um pouco o clima da cena. Posto agora algumas fotos do esquema de luz para fundo infinito, e amanhã posto mais algumas do outro esquema de luz. Nesse esquema abaixo usamos um flash estourando o fundo e mais um flash para preenchimento com bloqueadores nas laterais para dar um contraste interessante, um leve volume. A bondade de Almir não se resumiu a emprestar estúdio, equipamento e seu tempo. Mesmo depois me deu dicas valiosas de edição, fez criticas preciosas de erros dessas fotos, como o uso de range mais aberto que achatou a modelo em alguns cliques e algumas coisas a melhorar. Desse dia em diante nossa amizade só tem se fortalecido e eu eventualmente atuo como assistente dele, mas isso é assunto pra outro post.






Um comentário:

  1. Uma excelente oportunidade e fantástica aula ! Parabéns Igor

    ResponderExcluir